Concurso Anexo Casa Lacerda

Local: Lapa, PR
Status: Anteprojeto
Projeto: 2019
Link: 1  2




“Da janela dos fundos do casarão as meninas avistavam, entre as árvores do quintal, o Alto da Lapa, um paredão de rochas de arenito e de pedras rosadas, que ali permanecia diante dos seus olhos desde que se conheciam por gente. Uma dádiva gratuita de Deus.” (LACERDA, Maria Tereza, A Magia do Casarão, Edição do Autor, 2003).


A estratégia de implantação é simples, busca-se a continuidade do pátio da Casa Lacerda valorizando e preservando a vista do Alto da Lapa. A parte visível da edificação ocupa apenas a metade norte do lote, criando um grande espaço livre e contínuo.

O visitante, ao entrar na Sala do Relógio, avista da primeira janela a paisagem inalterada. O anexo, cuja cota da culmeeira  é a do olho do visitante, aparece apenas a partir das janelas à esquerda.

Dos fundos da Casa Lacerda se vê um volume branco como a névoa, calmo, repousando sob um canteiro de flores. Uma arquitetura nova, porém respeitosa, que observa o passado, silenciosa.

O Anexo abriga em primeiro plano a velha Casa dos Doces, que agora é moderna. É onde os sabores do passado serão resgatados e reinventados, uma conexão entre passado e presente, por isso mais próxima da casa.

Do pátio de tijoleira, vencendo um pequeno desnível, o visitante é conduzido a um novo espaço com piso em arenito, o mesmo do Alto da Lapa e das calçadas da cidade. É um mirante, livre, aberto, conectando Casa, Anexo e Vista. 

À esquerda criou-se uma varanda para onde se abre a nova Cozinha, o Café e a Loja, todos nivelados com o pátio. Os espaços são separados apenas por esquadrias em vidro, que permitem integrá-los ou separá-los conforme a necessidade.

Na varanda do anexo, olhando para o leste, é possível ver através da Sala de Exposições, uma abertura em direção ao Alto da Lapa. Uma referência à janela do terraço da Casa Lacerda. Conduzido por essa abertura o visitante encontra o núcleo de banheiros, o elevador, bem como os acesso à Sala de Exposição e à Escada. 

Descendo, chega-se ao Foyer e a Sala Multiuso, que fica em nível e com uma grande abertura para a Travessa Francisco Brito de Lacerda. A solução possibilita uma conexão direta com a rua, um facilitador em dias de eventos abertos à comunidade.

As áreas administrativas, de serviço e biblioteca também ficam no pavimento inferior, abertas para o recuo lateral norte. Nele, uma pequena escada liga esses espaços ao pátio do Museu.

De quem olha da Travessa, uma escada à esquerda do lote chama atenção. Ela conecta o pátio/mirante com a Pracinha da Figueira. Ela representa a continuidade, a liberdade do grande quintal de outrora. Subir nela é como subir no antigo catavento, é olhar para o Alto da Lapa e perceber: o passado ainda está presente.





PAISAGISMO

O desenho do paisagismo buscou preservar a atmosfera de “quintal de vó”, com suas árvores frutíferas, roseiras e plantas com flores variadas. O desenho busca também minimizar o impacto visual do muro no quintal. Para isso criamos uma borda ao longo de toda a divisa do lote da Casa Lacerda. Foram utilizadas  espécies  que  se  adaptam  muito bem ao clima local e demandam baixa manutenção. O parquinho receberá piso emborrachado e os brinquedos serão substituídos.


ESTRUTURA

O anexo será executado em concreto armado com laje protendida. Uma estrutura esbelta, que não atrapalha a vista do Alto da Lapa, além de gerar uma grande flexibilidade  para  passagem  das instalações no forro. Os fechamentos serão em alvenaria comum de blocos cerâmicos. A cobertura receberá a impermeabilização, bem como o um tratamento térmico adequado. Além disso, será revestida  com  tijolos  a vista. Olhando do alto, a solução torna o volume mais harmônico com o conjunto histórico e suas casas de telha cerâmica. É uma obra simples, com materiais comuns e que pode ser executada com mão de obra local.


MANUTENÇÃO

A manutenção do Anexo segue a linha da praticidade  e  viabilidade, fundamental para um edifício  público: Nada que uma lavadora de alta pressão e uma lata de tinta branca não resolva.


PROGRAMA

Para propor uma implantação com tal liberdade espacial, o Salão Multiuso  deverá  ficar  no  térreo. Esse fato, o que a princípio não era ideal, através de uma circulação vertical  bem  localizada, se tornou um conector do ediİcio  com  a  Travessa  Francisco Brito de Lacerda. O restante dos espaços públicos está no segundo nível, com vista para o pátio da Casa.


FLUXOS E FLEXIBILIDADE

O projeto permite uma grande liberdade de uso e fluxos. O Café, a loja e a cozinha, podem facilmente se tornar um espaço só, possibilitando abrigar uma grande variedade de eventos simultâneos ou integrados. As áreas administrativas  e  de  serviço não são vistas pelos visitantes, e podem ser acessadas sem interferência nos espaços públicos. Os espaços expositivos  também  podem  ser fechados sem interferência no fluxo do edifício.