Concurso Público Nacional De Estudo Preliminar De Arquitetura Para Unidades Habitacionais Coletivas na Região Administrativa de Sobradinho

Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB)


Local: Sobradinho, DF
Status: anteprojeto
Projeto: 2016
Link





CONTEXTO
No Brasil, os problemas a respeito do acesso à moradia estão ligados a um passado histórico marcado pela desigualdade social. Apesar de ser um direito assegurado pela Constituição Federal de 1988, moradia digna nem sempre é acessível a todos. No contexto do tema habitação social, acreditamos na importância da boa arquitetura como agente de inclusão social.

CONCEITO
O projeto tem como base a economia sem que a qualidade espacial seja prejudicada, desmistificando a ideia de que a habitação social está ligada a uma arquitetura inferior. O edifício é dividido em blocos estruturalmente independentes. A comunicação entre eles se dá por circulações abertas, nas quais são previstas varandas coletivas que promovem o encontro entre os vizinhos, além de funcionar como um espaço hibrido entre interno e externo, uma transição entre o habitat e a cidade. Este espaço também torna o edifício mais amigável e permeável visualmente, minimizando seu impacto no entorno.
Aliando conceitos básicos de economia, sustentabilidade e qualidade espacial o projeto utiliza a arquitetura como ferramenta para valorização e aumento da autoestima de uma enorme parcela da população historicamente negligenciada.

O PROGRAMA
Visando atender uma maior diversidade de famílias, o edifício oferece apartamentos de dois e três quartos com 58 e 68 metros quadrados respectivamente. O limite legal da taxa de ocupação do subsolo, de 155% do lote, permitiu 54 vagas de garagem, sendo possível propor igual número de unidades habitacionais.
No térreo, os moradores encontram um grande espaço livre. Essa área sombreada, tem como qualidade abrigar atividades diversas para o convívio e encontro das pessoas.

FLEXIBILIDADE
A estrutura pilar-viga, em concreto armado, dissociada das vedações, confere flexibilidade às plantas dos apartamentos, possibilitando a apropriação do espaço de acordo com a necessidade de cada família, conferindo identidade a cada apartamento.
A flexibilidade também é fundamental para uma arquitetura que pretende resistir ao tempo.

TÉCNICA E SUSTENTABILIDADE
A preocupação com o conforto térmico e aproveitamento da energia solar, representam, além da redução de gasto energético, economia financeira, fator fundamental em se tratando de projeto voltado a abrigar grupos financeiramente vulneráveis. Diante disso, o edifício terá fechamentos externos em painéis isotérmicos com encaixe tipo macho-fêmea, constituídos de um núcleo de poliuretano de alta densidade revestido chapas de aço. Internamente o acabamento e divisórias serão em drywall.

O sistema assegura agilidade na execução, diminuição de resíduos na obra, baixíssima manutenção, excelente acabamento estético e isolamento térmico e acústico superior aos sistemas convencionais. Assim, o conforto térmico é garantido sem necessidade de promover grandes perdas térmica por ventilação, o que em clima seco seria negativo, pois resulta em perda de umidade.